Esta nova leva de investigações foi realizada por membros do Cenozo e sob a supervisão de jornalistas proeminentes e experientes. Resultam de várias semanas e meses de intenso trabalho, muitas vezes  desenvolvidos em ambientes hostis, onde o jornalista arrisca a própria vida em nome da Verdade e da Transparência. A morte recente de um jornalista de investigação no Ghana fala bem desse ambiente em que a liberdade de expressão continua a ser sacrificada no altar dos poderosos.  Mas a resposta dos jornalistas e de organizações como o Cenozo também tem sido a altura do desafio: organizam-se melhor, formam-se mais e mais e investigam cada vez mais fundo.

Após o episódio de alto nível marcado pelo "West Africa Leaks" (ver www.cenozo.org), estes novos trabalhos chamarão sobretudo a atenção das autoridades públicas nacionais para as grandes questões com que se confrontam os Estados africanos e as sociedades civis locais. 

 Entre a corrupção, o desvio de bens públicos, a delinquência fiscal, a falta de transparência nos contratos públicos, o branqueamento de capitais, o crime organizado e o tráfico local e transnacional de todo o género, os países africanos estão presos em fenómenos mafiosos para os quais os meios de luta são sempre desiguais, porque insuficientes. Neste contexto, o papel da imprensa torna-se crucial em termos de alerta e documentação de alegados delitos. Mas, para isso, os jornalistas precisam de mais e mais formação e actualização em temas que lhes permitam investigar melhor e de forma mais eficaz.  

Daí o papel essencial que Cenozo atribui à formação contínua dos seus membros.  

Com a publicação destas 23 investigações, este ano de 2019 traz sinais auspiciosos ao seu processo de desenvolvimento, que começou em Novembro de 2014 em Saly (Senegal) e visa transformar qualitativamente o panorama mediático africano, promovendo a investigação jornalística.  

Hoje, com o apoio decisivo de seus principais parceiros,  Cenozo posiciona-se como o  farol de  um jornalismo que se quer tornar um actor respeitado e essencial no desenvolvimento de África.